logo      
Era Uma Vez

A menina que queria voar

Menina Loira Sorrindo

Ela via tudo de um ângulo diferente das outras pessoas. Olhava de baixo, porque era pequena, mas via muito além dos outros.

Sonhava com o céu, queria chegar e tocar nas nuvens.

As nuvens eram parecidas com algodão doce.

Será que tinham o mesmo sabor. Também pareciam muito macias.

Deviam ser muito mais confortáveis do que o colchão em que dormia...

Certa vez, quando se preparava para dormir, a menina escutou uma história contada por seu pai.

O herói desse conto era um homem chamado Ícaro e o sonho dele era voar e chegar no sol.

Naquela noite a menina sonhou com as asas de Ícaro. Queria tê-las para que conseguisse chegar nas nuvens e encontrar os anjos.

Imaginava que existia um mundo maravilhoso no céu.

A menina acreditava que o céu era o reino da plena bondade.

Pensava que se conseguisse chegar lá iria encontrar pessoas felizes e um mundo de paz e de amor. Por isso queria voar.

Mas essa menina logo descobriu que todas as vezes que seu pai ou sua mãe lhe contava uma história ela começava a voar.

Isso não aconteceu somente com Ícaro e suas asas...

Quando ela ficou um pouco maior e começou a ir à escola, o momento que mais a encantava era quando a professora lia novas histórias.

Em cada uma delas era como se a menininha se tornasse Ícaro e voasse em sua imaginação.

Quando ela aprendeu a ler foi como se tivesse ganho o maior presente de sua vida.

Tinha agora a chance de voar pelas histórias que desejasse a qualquer hora do dia! Ainda nesse dia ganhou seu primeiro livro de seus pais.

Resolveu então dividir com seus amigos menores esse incrível presente que recebera e, todos os dias, no meio da tarde, logo que voltavam da escola, ela lia algum conto, fábula ou história para eles.

Não satisfeita apenas em ler  para seus amigos, a menina começou a inventar suas próprias histórias e escrevia cada uma delas num pequeno caderno que ganhara de sua avó.

Sempre completava cada página escrita com um desenho de sua própria autoria.

Aquela brincadeira a cada dia se tornava mais e mais divertida.

A menininha deixara de ser apenas uma leitora. Era agora também uma escritora e já tinha até um pequeno público que adorava suas histórias e que tentava copiá-la...

Os anos passaram e a menininha cresceu.

Se tornou uma bela moça e continuou apaixonada pelas histórias e pelas palavras.

Sua imaginação e talento logo a levaram a se tornar uma escritora de sucesso.

Quando se tornou mãe, e depois também avó, nunca deixou de reservar algum tempo para sentar-se com as crianças, tendo um livro com ótimas histórias por perto para deliciar todos os que estivessem ao seu redor contando alguns daqueles deliciosos contos, fábulas e lendas.

Já madura, avó de quatro lindas crianças, encontrou no fundo de uma gaveta o caderno onde escrevera suas primeiras histórias. Entendeu então que tinha conseguido o que queria, com a leitura, aprendera a voar...

João Luís de Almeida Machado é Doutor em Educação pela PUC-SP; Mestre em Educação, Arte e História da Cultura pela Universidade Presbiteriana Mackenzie (SP); Professor Universitário e Pesquisador; Autor do livro "Na Sala de Aula com a Sétima Arte – Aprendendo com o Cinema" (Editora Intersubjetiva).

Fonte da Imagem: Corbis.

Planneta - Todos os direitos reservados