logo      
Era Uma Vez

Bile, um Cãozinho Especial

Menina deitada tendo o rosto sendo lambido por cachorrinho branco
Bile é um cãozinho que foi adotado pela Priscila e sua família.

Ele vivia abandonado nas ruas, sozinho, ganhando um pãozinho de um, uma carninha de outro, uma comidinha de alguma vizinha simpática...

Não se sabe bem ao certo, mas as pessoas que todos os dias passavam por ele costumavam chamá-lo de Bile, talvez por ser um nome fácil de lembrar.

Certo dia, depois de tanto insistir para Priscila arrumar a cama, guardar os materiais da escola e devolver os tênis dentro do armário, a família dela resolveu tomar uma atitude muito séria: adotar um cachorrinho!

– Mas que belíssima ideia – comemorou seu Tião, o pai de Priscila, ao ouvir a proposta de dona Maria, sua esposa e mãe da menina.

– Então vamos fazer isso – dona Maria estava empolgava – , vamos hoje mesmo adotar um cachorrinho abandonado e dar para a Priscila cuidar. Quem sabe assim ela toma jeito e se lembra de cuidar mais das coisas que tem.

Dito e feito, os pais, na hora do almoço, saíram e encontraram Bile, quietinho e dormindo sossegadamente numa calçada.

Pegaram o cãozinho e levaram direto para a casa. Bile ficou um pouco assustado, pois não sabia para onde estava sendo levado. "Coitadinho", ele ficava com os olhinhos bem estalados, prestando atenção em tudo a sua volta.

Ao chegarem em casa, seu Tião e dona Maria chamaram bem alto:

– Priscila, Priscila, corra, venha cá ver o que trouxemos para você!

Priscila não gostava de ser incomodada quando assistia à televisão, mas aqueles gritos a fizeram dar um pulo e sair correndo em direção aos seus pais.

– Olha o que trouxemos para você – fala dona Maria ao colocar Bile no colo da filha.

– Mãe, pai, que isso? Que legal, sempre quis ter um cachorrinho de estimação, obrigada, vocês são os melhores pais do mundo!

Foi amor à primeira vista, mas Bile ainda estava confuso, sem saber o que fazer, nunca tinha estado ali e, acredite, quis fugir.

– Não entendo – questionou Priscila – por que será que ele quer fugir se estamos dando um lar para ele?

– Bom, filha, agora é a sua vez de tentar convencer alguém que aqui em casa é o melhor lugar do mundo, exatamente como eu e seu pai fazemos com você todos os dias quando pedimos para você cuidar do que é seu.

Priscila pensou, pensou e disse:

– Bom, combinado, então, vou tentar convencer o Bile que aqui é o melhor lugar para ele.

– E como pretende fazer isso, filha? – seu Tião queria testar Priscila para ver o que ela iria falar.

– Vou começar dando banho, comida, água e muito, mas muito carinho mesmo para ele, exatamente como vocês fazem comigo!

É... Priscila sabia bem o que fazia a casa dela o melhor lugar do mundo e, então, passou a se empenhar em cuidar de seu mais novo amigo e a obedecer mais os pais, pois sabia como dava trabalho cuidar de alguém tão arteiro como o cãozinho Bile.

Erika de Souza Bueno: Coordenadora Pedagógica do Planeta Educação. Professora e consultora de Língua Portuguesa pela Universidade Metodista de São Paulo. Articulista sobre assuntos de língua portuguesa, educação e família. Editora do Portal Planeta Educação (www.planetaeducacao.com.br). E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Fonte da Imagem: Corbis.

Planneta - Todos os direitos reservados