logo      
Era Uma Vez

Um Dia Normal

Menina de cabelos presos com a cabeça um pouco inclinada olhando para cima

Era um dia como qualquer outro na casa de Fabiana.

O pai apressado para ir trabalhar, a mãe apressada para o café da manhã e também ir trabalhar, o cãozinho Lilo correndo de um lado para outro e, acredite, também apressado para o passeio de todas as manhãs.

Tudo estava igual todos os dias, mas Fabiana estava com um brilho especial no olhar que, até aquele momento, ninguém tinha percebido.

A mãe de Fabiana grita bem alto para todo mundo escutar:

–  O café está na mesa!

Nossa, aquele grito era o que fazia Fabiana despertar mais rápido todos os dias, mas, diferente do que costumava ser, ela caminhava devagar pela casa até chegar à cozinha.

O pai de Fabiana passa por ela e estranha a lentidão:

–  Vamos, filha, ande mais depressa, ainda temos que levar o Lilo para passear antes de você ir para a escola.

– Ai, pai, já estou indo já...

Quando finalmente chegou à cozinha, Dona Teresa, a mãe dele, estranha o comportamento da filha e pergunta:

– Está tudo bem, filha?

– Está sim, mãe, só não entendo porque um dia tem sempre que ser igual ao outro. Por que hoje não pode ser diferente? Por quê?

A menina estava mais questionadora do que de costume aquela manhã.

Seu Jorge, o pai dela, começa a dizer que a rotina é importante para a organização e que sem organização nada pode dar certo e que...

– Ora, meu amor – Dona Teresa fala carinhosamente com o marido –, Fabiana já sabe de tudo isso, o que ela não sabe é que nenhum dia é igual ao outro não, cada dia tem seu toque especial.

Fabiana, ao ouvir isso, fica pensativa e começa a se lembrar que ontem, na escola, ela brincou de pega-pega, coisa que não fez dois dias antes, pois estava cansada demais para brincadeiras agitadas.

Então, olha bem nos olhos da mãe e diz:

– Ah, entendi, a senhora quer dizer que a gente faz algumas coisas diferentes todos os dias, não é isso?

– Não, minha filha, o toque especial que eu estava falando não está nas coisas que você faz, mas nas pessoas que fazem essas coisas junto com você, entendeu?

A mãe de Fabiana estava falando daquele toque especial do dia quando a gente ganha um sorriso de alguém, quando a gente recebe um elogio da professora, quando a gente estuda e ganha boa nota na prova.

Fabiana , agora, já tinha aprendido a lição mais importante da via: ser feliz em meio a todas as obrigações que temos que cumprir em nossa rotina, não se esquecendo que a razão de viver está em conviver com as pessoas.

E mais! Fabiana entendeu que a gente não aprende só na escola, dá para aprender com os amigos e com os pais sempre apressados.

Erika de Souza Bueno: Coordenadora Pedagógica do Planeta Educação. Professora e consultora de Língua Portuguesa pela Universidade Metodista de São Paulo. Articulista sobre assuntos de língua portuguesa, educação e família. Editora do Portal Planeta Educação (www.planetaeducacao.com.br). E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Fonte da Imagem: Corbis.

Planneta - Todos os direitos reservados